06/09/2008

Um dia há de se controlar o descontrole. Fico pensando se algum momento vou parar de perder as coisas, por exemplo. O pior é que é tudo em dobro. Dois celulares em um mês, duas chaves do carro em duas semanas (esse foi recorde! e q fique claro q o somatório do sumiço, rendeu-me menos 600 pratas no meu bolso), duas bolsas de figurino uma semana antes da estreia, a lista é grande, continuar só faria aumentar minha indignação.
Com essa incrível capacidade de perder as coisas q fui adquirindo ao longo de meus 26 anos, conquistei também uma qualidade e um defeito.
O desapego!
Olho a reação das pessoas perdendo seus tão amados bens materiais e quase invejo o amor que elas sentem pelas coisas. Sinto-me fria. Incapaz de amar tanto assim.
Desapego: 1. falta de apego , de afeição 2. Desinteresse, indiferença.
Prefiro acreditar na história q inventei qnd era criança.
Uma comunidade de Gnomos mora no meu quarto. São gnomos bricalhões. Eles pegam algumas coisas minhas, pra servir como objetos lúdicos para eles. Guardam num baú lindo. Com um olho na tampa.
Quando eu morrer, fecho o olho e entro no baú.
mel

Um comentário:

Lelê disse...

Quando fechar o olhos deixe sus escritos. O baú não poderá ler, mas o mundo... esse vai se fartar.