03/04/2009

Minha Música


Minha música não quer ser útil
Não quer ser moda
Não quer estar certa
Minha música não quer ser bela
Não quer ser má
Minha música não quer nascer pronta
Minha música não quer redimir mágoas
Nem dividir águas
Não quer traduzir
Não quer protestar
Minha música não quer me pertencer
Não quer ser sucesso
Não quer ser reflexo
Não quer revelar nada
Minha música não quer ser sujeito
Não quer ser história
Não quer ser resposta
Não quer perguntar
Minha música quer estar além do gosto
Não quer ter rosto, não quer ser cultura
Minha música quer ser de categoria nenhuma
Minha música quer só ser música:
Minha música não quer pouco.
MEL

5 comentários:

Débora disse...

Adriana Clacanhoto

Rafaela Figueiredo disse...

ah! estava com saudade disto! retornei ao mundo 'blogueiro'...
que beleza de texto!

abraços
o/

Anônimo disse...

A barba rala imperial vai novamente ao encontro de Midraj no Rio com seu destemido encouraçado. Será que dessa vez nos encontramos ou mais um desencontro? Rs, bjs, lindo texto, lindos textos, como sempre.

lelê disse...

música para os meus olhos

Linn. disse...

sempre música