29/06/2008

DEPOIMENTO


Há três meses, um vento me convidou a vir aqui. Oxigênio!Uma brisa cruzou o meu caminho. Acho que nem uma vida inteira seria capaz de me preencher daquela maneira. Nunca fui tão plena como com a chegada dessa brisa suave e devastadora que me fez experimentar a a delícia de deixar invadir minhas águas de escorpião e explodir as chamas desse fogo que ferve a lua borbulhante de leão. Áries que ascende no horizonte. O céu está estrelado. Sou filha das águas quentes, fervilhantes, abastecidas pelo ar da tua brisa. Vapor gostoso que mistura discreto o seu corpo e o meu. O Aquário me ganhou. Seu jeito anárquico e os ares majestosos derramados em sutileza de libra me ganharam. (A porta bate.) Passou. A brisa passou por mim e sumiu, deixando neste vazio imenso o vácuo e a solidão. Pareceu então saborear seu maior desejo: se tornar intocável. Asfixia. Hoje, um outro vento me traz aqui, mesmo sabendo que você não está. Todo dia vem alguém me dizer que onde uma brisa passa, ela não volta mais. Na verdade, não é exatamente nisso que eu acredito. Ou talvez não seja essa a minha forma de ver as coisas. Talvez um dia a brisa volte e acaricie o meu rostou com a mesma ternura com que me deixou. Hoje, descobri que no meio de um vazio enorme, deixou guardado comigo o seu último e mais doce átomo de ar. Um outro vento me trouxe aqui. Uma brisa voa no meu ventre. Não, eu não me arrependo de nada. Naquele dia, quando eu saí de casa, eu precisava respirar.
PANDORA

Um comentário:

Debora disse...

um vento de sorriso pra vc